quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Lições da vida de José

"E disse Faraó aos seus servos: Acharíamos um varão como este; em quem haja o Espírito de Deus?" (Gn 41.38)


Olá! Está é a minha primeira postagem no blog e desejo compartilhar algumas lições práticas da vida de José. Confira.

  • A inveja é o misto de desgosto e ódio provocado pela prosperidade ou a alegria de alguém. Ela corrói por dentro e autodestrói a pessoa que se torna vítima dela (Pv 14.30; Ec 4.4). O cristão é proibido de exprimi-la (Gl 5.26; Veja Is 14.12-20).
  • Quando os sonhos que temos são de Deus, um dia terão de se cumprir (Gn 35.5-9); do contrário (nossos sonhos), nem sempre se tornarão realidade, pois não sendo da vontade do Senhor não se efetivará (1 Jo 5.14,15).
  • Faraó e o carceiro-mor tornaram-se amigos de José, bem mais que seus irmãos (Gn 39.21-23; 47.3-6; 50.4-7). Há amigos mais chegados que um irmão (Pv 18.24).
  • Aquele que semeia, terá de colher um dia (Gl 6.7,8). O perdão de Deus não anula as consequências do pecado. Jacó já havia enganado seu pai Isaque (Gn 27.16; 37.31-35); seus filhos, anos depois, fizeram o mesmo com ele.
  • José era um servo obediente, pois tanto Jacó (Gn 37.13) quanto Potifar (Gn 39.4) o amavam, e Deus o abençoava de igual modo (Gn 39.5). Quem serve aos outros com submissão é sempre amado, não necessariamente por todos.
  • Deus é aquele que "abaixa e também exalta", e que "desde o esterco, exalta o necessitado para fazê-lo assentar entre os príncipes" (1 Sm 2.7,8).
  • O Altíssimo não permitiu que José morresse na dificuldade, mas livrou-lhe DA morte, permitindo que sofresse NELA (na dificuldade), e pudesse alcançar o prêmio da exaltação (Gn 48.15,16). O Senhor, algumas vezes, nos livra DA prova; em outras situações, livra-nos NA prova.
  • Não importa onde (se na cova, longe de casa, etc.) e como o cristão esteja (se sozinho em terra estranha, como um escravo, como um prisioneiro, ou como um governador), o que interessa é que o Senhor está com ele (Gn 39.2,5).
  • Potifar e Faraó "viram" o Senhor na vida de José (Gn 38.3; 41.38,39). Muitos precisam ver Deus em você.
  • Reconhecer o favor de Deus na vida de alguém sem que haja mudança de atitudes, é fútil para o Senhor. Faraó certificou-se que Deus estava com José, porém, não abandonou os ídolos do Egito (Gn 41.38). O mesmo aconteceu com Nabucodonosor (Dn 2.47; 3.1-7).
  • Obedecer aos pais hoje pode determinar seu sucesso amanhã (Gn 37.2,3,13; Pv  4.1-27; 6.20-24; Ef 6.1).
  • Até uma esposa o Senhor concedeu a José, dando-lhe também 2 filhos. Não se precipite em fazer algo antes ou fora do tempo. Espere no Senhor. Saiba que o momento exato virá (Gn 39.6.13; 40.45; 48.8,9; Ec 3.1; Pv 18.22).
  • Afirmar está arrependido de alguma coisa que cometeu não é o suficiente. Até outra situação aparecer, e você mostre que não cometerá o mesmo erro duas vezes, isso revelará que você está realmente arrependido (Gn 42.21-38; 44.1-34).
  • Em um lar conturbado e com muitas desavenças, sempre há espaço para o perdão e a reconciliação (Gn 45.5,10-15).
  • Quem levou José ao Egito, e por que ele foi parar lá? O Senhor se utilizou de José para preservar sua família, e assim, livrar toda a terra do Egito da miséria e da fome (Gn 45.5-8). Deus precisa de você para realizar algo extraordinário.
  • José era um bom mordomo das coisas dos outros. Na casa de Potifar foi abençoado por isso (Gn 39.3). No cárcere, foi honrado pelo carcereiro-mor (Gn 39.21-23; 40.1-4). Seja também um bom mordomo, tanto daquilo que te põe à mão, quanto dos interesses de Deus. Suponha que o Senhor contasse e confiasse, em vez de José, com pessoas corruptas e desonestas (desvio de verbas públicas etc.) durante a gestão no Egito? A preocupação com os necessitados é uma virtude de um bom político (Gn 40.6-8; 41.33-57; 47.13-15).
  • No momento de muito sofrimento e tribulação, e ainda assim você continua a agarrar-se em Deus, tenha certeza de uma coisa, surpresas podem lhe acontecer (Gn 41.37-44; 45.9-11,17-28; 47.11,12).
  • Exatamente, na prisão, José aproveitou a oportunidade de apresentar o Senhor ao copeiro e o padeiro (Gn 40.8). Independente onde você esteja não esqueça a missão que te confiou o Senhor (At 1.8; 2 Tm 4.2).
  •  Naquela época, já existiam pessoas que odiavam os pastores. Para os egípcios, ser pastor de ovelhas era uma abominação (Gn 46.34), pois os considerava de baixa posição social. Segundo os estudiosos, o Egito era um país agrícola e notavelmente civilizado, enquanto os pastores eram nômades e um povo inculto, visto com desprezo. É espantoso, mas atualmente não é diferente, segue-se esta mesma tendência. Esses homens escolhidos por Deus, encarregados de orientar o povo, são vistos da mesma maneira como era no passado (Mt 5.12).
  • José, como governador, não esqueceu suas origens (Gn 47.11,12). Quanto a você, ao menos se lembre de mim quando chegar lá no topo!
  • Deus sempre expõe, à vista do ímpio, seu favor, mas ele não enxerga isso (Gn 47.13-26; Jo 3.16; Rm 5.8). O Senhor enviou Jesus para LIVRAR-NOS: (a) da morte (concedendo-nos a Vida); (b) do Diabo (dando-nos autoridade sobre ele e o acesso ao Pai); (c) do pecado (concedendo-nos santidade); e (d) da carne (proporcionando-nos uma vida no espírito).

    Deus o abençoe.

         Aijalon


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget